sexta-feira, 18 de julho de 2008

Pipa, balão e video-game (ou "Sobre relacionamentos")

De uma amiga, dessas de sete chaves: "é como uma pipa que a qualquer momento vem o cerol, corta a linha e a pipa vai embora. Afinal, ela está solta, lá em cima, presa por uma linha frágil".

(Mas sem a linha, cai no chão, sem vida.)

"Seria um balão de gás preso ao braço frágil de uma criança?"

(Esse, solto, vai longe. E justamente por isso, estoura antes de chegar a qualquer lugar. Prefiro a imagem da pipa.)

A tal amiga (seria da onça?) continua metaforizando, e diz que pelo fato da pipa ser tão volúvel, talvez o menino prefira o video-game.

Mas continua: "a pipa encanta por isso... ela é bonita, é leve, é solta... vc dá linha e ela sobe, charmosa que só, dança no ar, mas sempre distante... e é aí que tá o encanto".

(Adorei!)

2 comentários:

Steve Ballmer disse...

Very nice blog you people have here!

Eu disse...

Ana!
Tá lindo isso aqui, sabia? A idéia que te deram está muito bem aproveitada (a de escrever um blog). Pretendo passar aqui sempre. Pode deixar que mando um sinal (comment). Beijão