sábado, 2 de maio de 2009

Embora

Desde pequena sempre mudei muito de cidade. Uma média de três a quatro anos em cada uma delas, acredito eu. Fato é que acabei me adaptando a essas mudanças. Quando criança, era sempre sinônimo de sofrimento. Deixar os amiguinhos, as tias da escola para trás e ainda ter que me adaptar a toda uma nova situação depois. Ainda me lembro da sensação de chegar a cada nova cidade. Era aterrorizante e ao mesmo tempo cheia de expectativa. Não consigo dizer se era boa ou ruim, só que era muito forte.

Fato é que me acostumei, e depois de muito tempo, passei até a gostar -o que não quer dizer que eu não sofresse mesmo assim. A única solução que encontrei: não me apegar tanto aos lugares, e menos ainda às pessoas. Eu só não imaginava o que esse tipo de atitude me traria de problemas no futuro.

Tenho esse meu jeito um tanto distante, de quem nunca vai se fixar a ninguém ou a lugar algum,o que faz com que as pessoas se afastem de mim, ou nem tentem se aproximar. E por mais que eu tente mudar isso, não consigo. Provavelmente porque quando penso que vou ter sucesso, volto a sofrer. Sempre mais do mesmo. Uma vez um amigo disse que tinha a sensação de que "estou sempre indo embora” e apesar de ter dado risada quando ele falou, é a definição mais perfeita que já tive. [Até porque depois de amanhã vou embora mais uma vez...]

E tudo isso acaba sendo uma alternativa à pergunta do post anterior.

3 comentários:

mauromartins disse...

O duro é quando alguém que ainda nem te conhece já se apega ... e aí, #comofas (by twitter) ? ;P

É, você é viajada demais ... Somos o contraste !

Eu disse...

Uma constatação: te invejo.

.lucas guedes disse...

"nunca sei o que se passa com as manias do lugar porque sempre parto antes que comece a gostar de ser igual... qualquer um... me sentir mais uma peça no final...."

by fernanda takai.

só para constar.

.