quarta-feira, 23 de julho de 2008

De tanto apanhar

Pesquisando dados para uma matéria, vi uma notícia sobre a Maria da Penha, aquela que dá nome à Lei*. Ela quer que o apresentador Faustão faça uma retratação por ter afirmado em seu programa dominical que ela teria ficado paraplégica de tanto apanhar. Não foi bem assim. Ela perdeu os movimentos das pernas porque levou um tiro do ex-marido.

É, talvez ela esteja sendo um tanto oportunista, mas não deixa de ter razão. Sofrer uma tentativa de homicídio é bem diferente de "tanto apanhar". Como tantas outras vezes, faltou cuidado e respeito por parte do apresentador.

* A Lei Maria da Penha cria mecanismos para coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher.(Em 1983, ela sofreu duas tentativas de homicídio por parte do ex-marido, uma por arma de fogo, a outra por eletrocução e afogamento. 19 anos depois, ele foi condendo a seis anos de prisão, mas ficou apenas dois deles em regime fechado.)

2 comentários:

Eu disse...

Ana, acabei de ler uma notícia sobre este assunto. A princípio, me parece que ela queria processá-lo, mas agora desistiu. Processo é um exagero, né? É fato que o Faustão falou porcaria, mas acredito que uma simples retratação já resolve o problema, nénão? Assim como os jornais poraê fazem (será?).
(Tá legal aqui, hãn?)

Ana Lucia Abrão disse...

Obrigada, venha sempre! Espero você postar no seu mais vezes também.
Não sei no que deu o caso, mas seja lá o que for, bem feito para ele...